Notícias Relacionadas

Newsletter

Quarta, 08 de Agosto de 2018 - 16h15

Exclusivas uagro

Tabela do frete terá impacto inflacionário, diz Maggi

Segundo o ministro, haverá uma tendência de verticalização no transporte de produtos agrícolas, com produtores e empresas investindo em frota própria

DATAGRO

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi, disse nesta terça-feira (07), em São Paulo (SP), que o tabelamento do frete rodoviário terá impacto inflacionário no transporte de cargas do agronegócio, e consequentemente nos preços dos produtos agrícolas. “Já se percebe isso nos grãos, por exemplo. Não acredito em uma escalada de preços, mas certamente teremos um movimento de ajuste do processo inflacionário.”

Maggi participou na capital paulista de evento, que marcou o lançamento de um estudo, elaborado pela Embrapa, que tem como objetivo apontar as rotas logísticas mais eficientes para o agronegócio.

O ministro afirmou que não acredita no funcionamento de uma tabela de frete. “Não é viável, porque somos um país de características muito diferentes, são vários tipos de rodovias. Logo, colocar tudo no mesmo pacote não dá certo.” Além disso, segundo Maggi, os preços da tabela estão elevados, o que retira do produtor a renda que ele tem, “que já é pequena”.

Frota própria

Como alternativa, o ministro disse que produtores, especialmente do Centro-Oeste, e tradings estão investindo em frota própria. “Haverá uma tendência de verticalização no transporte.”

No que diz respeito a diversos embargos e barreiras comerciais sobre alguns produtos agrícolas do País, Maggi pontuou que o Brasil poderá recorrer sim à Organização Mundial do Comércio (OMC) como fórum para deliberar as questões. “Estudos já foram encaminhados à Camex neste sentido”, revelou. As ações na OMC podem envolver o embargo europeu ao frango brasileiro, bem como taxas chinesas sobre o açúcar e também o frango.


Link

Compartilhar