Notícias Relacionadas

Newsletter

Sexta, 09 de Fevereiro de 2018 - 11h54

Exportações de café caem 5,9% em janeiro

Volume embarcado atingiu 2,4 milhões de sacas de 60 kg

DATAGRO

As exportações brasileiras de café apresentaram recuo de 5,9% em janeiro na comparação com o mesmo período do ano passado, apontam dados divulgados nesta sexta-feira (09) pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). O total de sacas de 60 kg que foram embarcadas no primeiro mês do ano foi de 2.490.023, que geraram uma receita cambial de US$ 400,9 milhões. O preço médio ficou em torno de US$ 161,01.

Segundo o conselho, entre as variedades exportadas, em janeiro, o café arábica correspondeu por 93% do volume total de exportações (2.316.280 sacas), seguido pelo solúvel com 6,5% (160.766 sacas) e robusta com 0,5% (11.320 sacas).

“O resultado deste começo de ano já era esperado e segue de forma geral sem grande alteração para o mercado de exportação de café. Acreditamos que o ritmo seguirá mais lento até a entrada da nova safra, que trará uma expectativa melhor. Além disso, o volume de chuva tem sido alto, o que favorece a produção. Se o fator climático permanecer desta forma, será muito positivo”, afirma o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes.

Principais destinos

Em janeiro, a Alemanha passou a ocupar o primeiro lugar no ranking dos principais consumidores do café brasileiro, com 20,6% de participação (513.070 sacas). Os Estados Unidos – que liderava a lista desde março de 2017 – seguem agora na segunda posição, com 17,9% (444.726 sacas).

Ainda tem destaque o Japão na terceira posição e que registrou um aumento de 10,51% de exportação do café brasileiro, com 8,8% de participação (218.817 sacas). De acordo com o Cecafé, este resultado é positivo, pois demonstra a capacidade de o País atender um mercado de alta qualidade e estratégico, afinal, a taxa de crescimento médio na região foi de 4,5%, no período de 2012 a 2017, segundo dados da Organização Internacional do Café (OIC).

Ainda figuram no ranking: Itália com 8,6% (214.808 sacas) e Bélgica com 6,5% (162.413 sacas). No período, o Reino Unido e Canadá ganham destaque com crescimento nos embarques recebidos do Brasil, respectivamente de 38,25% (62.967 sacas) e 15,52% (58.076 sacas).


Link

Compartilhar