Notícias Relacionadas

Newsletter

Terça, 10 de Outubro de 2017 - 08h25

Exclusivas uagro

Estudo destaca relevância da TI e telecom para competitividade agrícola

No entanto, relatório “E-Agricultura na América Latina”, elaborado pela 5G Americas, alerta para os desafios de conectividade nas áreas rurais

DATAGRO

Uma maior adoção das tecnologias da informação (TI) e de telecomunicações (telecom) é capaz de melhorar as condições dos processos produtivos e de comercialização na agropecuária, contribuindo para melhorar a segurança alimentar e a sustentabilidade das regiões rurais na América Latina. É o que aponta o estudo “E-Agricultura na América Latina”, publicado pela 5G Americas.

Adoção de tecnologias pode melhorar condições dos processos de produção agropecuária

Associação dos principais provedores de serviços e fabricantes do setor de telecomunicações, a 5G Americas tem entre seus membros grupos de peso como, por exemplo, América Móvil, AT&T, Cable & Wireless, Cisco, CommScope, Entel, Ericsson, Hewlett Packard Enterprise (HPE), Intel, Kathrein, Mavenir, Nokia, Qualcomm, Sprint, T-Mobile US, Inc., Samsung e Telefónica.

De acordo com o relatório, a TI e telecom aplicadas ao campo contribuem para o aprimoramento das práticas de cultivo, facilitam o acesso a mercados, permitem atualização climática atualizada, entre outros benefícios. “Sua contribuição pode transformar a realidade do setor, dando suporte aos diferentes produtores que fazem parte da cadeia de valor da agricultura, oferecendo informações necessárias para melhor tomada de decisão”, diz José Otero, diretor da 5G Americas para América Latina e Caribe.

O documento frisa que, até o momento, foram poucos os planos de conectividade realizados para reduzir a exclusão digital na América Latina, que tinham entre seus enunciados diferentes graus de inclusão da agricultura ou das áreas rurais. Segundo Otero, as tecnologias móveis têm o poder de assumir papel disruptivo por aumentar a conectividade entre os habitantes das áreas rurais, já que permitem alcançar uma maior cobertura de mercado de forma mais rápida, aumentando as possibilidades de acesso à informação de setores distantes dos grandes centros.

“Desta maneira, beneficiam todos os segmentos que fazem parte da agricultura, desde os pequenos produtores até os grandes conglomerados, aumentando as oportunidades de crescimento em sua produção”, ressalta o dirigente.

Desafios
Diante deste cenário, o estudo considera que aumentar as facilidades para o desenvolvimento da banda larga sem fio, como por exemplo, maior disponibilidade de espectro e a redução da burocracia necessária para desenvolver infraestrutura de rede, são medidas fundamentais para expansão da TI e telecom nas regiões agrícolas.

O relatório chama a atenção, ainda, para a necessidade de trabalho conjunto dos setores público e privado para poder alcançar um melhor desempenho da conectividade, que se traduz em melhores condições produtivas para o setor agrícola.

Link

Compartilhar